21.12.10

H&M

A gente adora essas redes de fast fashion! Tudo lindo, atual e super baratinho! Enquanto, torcemos para que elas se instalem todas logo por aqui, a gente vai dando uma olhadinha no lookbook da coleção de Spring-Summer 2011 da H&M. Vai que alguém vai viajar ou até para se inspirar e encontrar por aqui alguma coisinha parecida.
" É maravilhoso reinventar o guarda roupa no início de uma nova estação. A moda não muda mais drasticamente como antes, então nós podemos facilmente pegar os favoritos da ultima estação e reinventá-los. Compras seguras para a primavera são clássicos da moda em bege ou branco, e quanto mais longas as saias e os vestidos, o look parecerá novo e muito feminino", diz a head designer da H&M, Ann-Sofie Johansson.

Silhueta
Longos e soltos ou curtos e estruturados 

Cores
Tons esmaecidos, marinho, branco, bege, amarelo e pink

Estampas
Florais, animal prints e grafismos

Materiais
Lyocel e algodão estonados, camurça, com linho na composição, chiffon e voil , materiais orgânicos e reciclados

Peças chave
Calças em diferentes shapes e estilos, vestido longo, tops de malha e blazer

Acessórios chave
Bolsa de couro natural, cintos, sandálias e clogs























E tem também para os meninos:


BALLETS RUSSES

Para quem estiver em Londres até o dia 9 de janeiro vale conferir a Exposição: Diaghilev and the Golden Age of the Ballets Russes, 1909-1929 em cartaz no Victoria & Albert Museum. E para quem não puder ir, segue uma amostrinha do mundo fantástico do Balé Russo.
O Ballets Russes foi uma Companhia de Balé emigrada da Rússia, fundada no início do século XX, que revolucionou o mundo das artes na época. E um dos maiores responsáveis pela consistência cultural da Companhia foi Diaghilev, seu diretor e fundador, que contratou, entre outros, o compositor russo Igor Stravinsky (vale também assistir ao filme Chanel e Stravinsky que conta melhor esta participação), Pablo Picasso, Henri Matisse, Jean Cocteau e Coco Chanel dentre os muitos colaboradores famosos. Entre os dançarinos, contou com Anna Pavlova, Tamara Karsavina, George Balanchine e Vaslav Nijinski.

As primeiras temporadas do Balé Russo foram caracterizadas pelos figurinos exóticos do artista russo Léon Bakst. Os adornos coloridos, com influência do Art Nouveau e o erotismo das montagens transformavam os espetáculos de dança numa verdadeira obra prima.
Os modelos e as cores usados pelas produções do Balé Russo moldaram um novo padrão estético no século XX. Influenciaram direta ou indiretamente o teatro, a moda e a vida cotidiana, incluindo o design de interiores.
Talvez , o legado mais evidente que Diaghilev patrocinou tenha sido a música. Trilhas sonoras para balés de Stravinsky, de Falla entre outros continuam a ser ouvidas em teatros ao redor do mundo. O repertório do Balé Russo permanece uma inestimável fonte de inspiração para os coreógrafos contemporâneos. As conquistas de Diaghilev continuam a inspirar o mundo das artes, do teatro, da música e da dança.



Figurinos para as bailarinas em Rite of Spring, desenhados por Nikolai Roerich, 1913



Figurino para o ilusionista chinês de Parade, desenhado por Pablo Picasso, 1917


Figurinos dos guerreiros Polovtsian em Prince Igor
Desenhados por Nicholas Roerich
1909

Capa da Le Théatre mostrando Tamara Karsavina no figurino de Firebird
Maio 1911



Jaqueta feminina e chapéu do Rite of Spring
Figurinos para os bandidos (que luxo ser bandido!) do Balé de Fokine, Daphnis and Chloé, desenhados por Léon Bakst, 1912.


Figurinos de Coco Chanel para Le Train bleu, 1924

 
Figurino usado por Adolph Bolm em Prince Igor
Desenhado por Nicholas Roerich
1909

 
Léonide Massine como o ilusionista chinês de Parade
1917

Adolph Bolm e Tamara Karsavina em seus figurinos para o ballet Thamar
Fotografados por Waléry
1912



Botas usadas por Alicia Markova em Prince Igor
1926

 
Ida Rubinstein como Zobeide e Vaslav Nijinsky como o Escravo de Ouro em Schéhérazade
Publicado por Georges Barbier









Seguidores

Arquivo do blog